6 de jun de 2009

Discrepâncias e afins

- Obaldo? E ele mora com a avó?

- Isso, mas ele malha. Malha não, ele corre.

- Caminhada Clarinha? Caminhada é coisa de bixa.

- Presta atenção amiga. Ele não é gay...

- Ele assiste novela. Ele escuta Keny G.! Ele faz caminhada CLARINHA!

- Mas ele é legal.

- Eu sou legal Clarinha. Ele é gay porra.! Bati.

- A não de novo. Você também é gay amiga.

- É, mas eu gosto é de mulher. Devo ser mais macho que o tal do Obaldo.

- Ta por fora, ele é praticamente um Chico Buarque. Engraçado essa coisa de “um Chico Buarque” né?

- Transformaram o velho Chico em uma natureza. Mas e ai, você vai ligar para ele. Você que entrega as cartas agora viu.

- Sabe, pensando assim, ele é bom demais. A gente transou por duas horas e ele não deixou de me beijar um minuto. Ele esquentou água, me levou chimarrão na cama. Colocou música. Vou ligar sim.

- Keny G? Porra Clarinha.! Eu posso fazer isso tudo por você e não tenho um pau.

- Qual é você é frustrada. O cara é bacana. Me tratou bem e é bom de cama. Ta, e daí se ele é gay? Eu me diverti. Não vem uma carta que presta para mim.

- Clarinha, tu vai quebrar a cara com esse cara hein.

- E do que você entende hein?

- Eu sou gay Clarinha, quantas meninas você acha que eu fiz sofrer? Fiz mesmo, e despertei em todas elas uma coisa que elas tinham vergonha...

- Ahhhh, qual é, agora você quer me comer também? Para.!

- Beleza, mas ele é gay, vai se fuder com essa história.

- Falando em me fudê. Tu assistiu o filme de ontem?

- Não, a idiota da Marta tava lá em casa. Me enchendo o saco porque eu sai escondida.

- Larga essa Marta. Possessão da porra. Filmão viu. Perdeu.

- Largo nada, aquela menina tem a porra de um capeta nos dedos. Você tem que ver. Bati de novo. - Sabe que eu tava lendo outro dia que a maioria das lésbicas são frustradas, mas olhando você assim pó. Tu é a pior de todas. Quero jogar mais não.

- Mas eu não sou frustrada, só gosto de mulher. E não odeio homem, mas para mim esse tal de Obaldo é bixa hein. Vamos outra, dessa vez presta atenção.

- Ah lá vem você. Ihh amiga, começou a novela.

- Vou embora então. Saco cheio de televisão. Ta afim de um café, um cigarro?

- Não, o Obaldo ta vindo aqui, disse que vai trazer uma erva especial pro chimarrão que ele vai preparar para gente.

- Porra Clarinha, puta viadagem hein. Tchau mulher.

- Beijo querida.

23 de abr de 2009

Amor para quem sabe amar

Cardoso, Dr. Cardoso. Devia ter seus 30 e poucos anos, casado. Era um dos melhores psiquiatras da cidade. Calmo e centrado, resolvia tudo. Um dia foi o Zé, Zé Ninguém, era fazendeiro, seus 40 e poucos anos, conservador, casado. Mas o Zé tinha um problema, primeiro o problema foi com a secretária do Cardoso, porque o tal do Zé queria porque queria entrar com uma cabra no consultório. Resolveu deixa-la na caminhonete, amarrada.

- Como vai Zé, mais calmo agora?

<- O senhor não entende. Eu me apaixonei.

<- Que mal há nisso Zé?

<- Sou casado Dr. Cardoso e amava minha mulher, agora eu só tenho olhos para ela.

<- Olha Zé, eu não posso te receitar nada, vamos tentar tratar desse assunto como amigos? E ela também é casada?

<- Cardoso, ela é minha cabra, a cabra que está na minha caminhonete.

Dr. Cardoso deu um sorriso seco, sem graça, não sabia o que fazer, receitou um remédio para o Zé dormir e disse que voltasse no outro dia para conversarem sobre como tudo aconteceu.

O Zé voltou brigou de novo para a cabra entrar, o Cardoso deixou. Ficaram os três, Zé, Cardoso e a cabra. – Ela chama Titi Dr. – Disse o Zé todo sorridente. Titi, uma cabra, seus seis e poucos anos, branca, serena e limpa.

Um dia a mulher do Zé, foi visitar a mãe, ficou duas semanas fora. O Zé não agüentava mais, resolveu dar uma volta no pasto, lá estava a Titi, parada, quieta. O Zé abriu uma de suas pingas de engenho, sentou em uma pedra e observou Titi, acabada a garrafa levou a cabra para dentro de casa, para seu quarto.

Quando acordou estava feito, estava apaixonado. Sua mulher voltou e o Zé só queria saber da Titi. Um dia percebeu que seu casamento estava por um fio. Resolveu procurar o Dr. Cardoso, quem indicou foi o Osvaldinho, o mesmo que tinha prazer em mastigar os filtros de barro. Hoje é vegetariano.

Dr. Cardoso só tinha olhos na Titi “porque esse cara traçou essa cabra”. Mas enquanto ouvia o Zé, uma mulher entrou no escritório aos gritos. Era a mulher do Zé, deu chutes e tapas no velho “tem pelo na minha cama, Zé seu filho da puta, você ta comendo aquela cabra na nossa cama?”. O Zé correu para a caminhonete, envergonhado e a mulher atrás.

O jovem Cardoso voltou para o escritório, sentou, acendeu um charuto e lá estava ela, parada, deitada e serena, a Titi. Cardoso trancou a porta, agachou e ficou olhando para Titi, ela tinha um cheiro, um cheiro bom “Zé devia dar banho nela”. Ela tinha as patas traseiras mais altas e era “atraente, realmente, estranhamente uma cabra atraente”.

Cardoso resolveu levá-la para sua casa, não podia deixar uma cabra no consultório ou na rua. Deixou-a na garagem, jantou, tomou banho e deitou na cama com sua esposa.

- Com foi seu dia querido?

<- Muito bem, tranqüilo.

Mas não foi, e o Cardoso só pensava em descer para ver como a cabra estava e porque o Zé tinha se apaixonado por ela. E quando sua esposa adormeceu, ele desceu. Foi até a garagem, levou água e pão e ficou olhando Titi comer.

Cardoso dormiu com Titi, acordou antes de todos e saiu, com a cabra. Não sabia por que tinha feito aquilo, mas fez e estava feliz. Desligou o celular e entrou na rodovia, não sabia para onde ia, mas ia para algum lugar e Titi no banco de trás, deitada e quieta.

Comprou ‘comida de cabra’ e entrou em um hotel barato, passou à tarde com Titi e resolveu voltar para a cidade. Tinha resolvido, ia ter Titi como sua amante, ela ia ficar na garagem e ia falar para sua esposa que era um presente para uma amigo e que ela, a cabra, ia ficar por uns tempos com eles.

Cardoso saia mais cedo do serviço todo dia, buscava Titi e a levava para um motel, cinco estrelas, coisa cara. Passava cerca de três a quatro horas com Titi e voltava para casa. Sua esposa contratou um detetive quando viu um cartão de Vip em uma de suas camisas.

-Dona, todo dia ele vai ao Glamour Motel por volta de 16h fica até 19h, ele entra e sai sozinho.

A esposa do Cardoso um dia o seguiu, viu ele chegar em casa entrar na garagem, fechar a porta desconfiado e logo em seguida sair de casa. Cardoso entrou no motel, fechou o portão, abriu o porta-malas e desceu a Titi, entrou no quarto, abriu um dos champagnes favoritos dela e deitaram na cama. Depois de estourar o espumante Cardoso derrubava espuma entre eles.

- Está tudo arrumado já Titi, vou me divorciar e a gente se muda, eu vendo tudo e vamos morar na praia.

Mas ai a esposa do Cardoso entrou no quarto, com o advogado, a polícia, a imprensa e o Zé, o Zé Ninguém que chorava aos prantos pela traição da Titi.

2 de abr de 2009

Massa informe e malcheirosa descoberta no centro de Brasília

Boa noite. Na última sexta-feira um grupo de adolescentes queimaram carteiras na Praça São Cristóvão. Os estudantes alegaram estar fazendo um “manifesto contra o mau cheiro” quem vem ocorrendo no país.

Os responsáveis pelo governo do “local fedido” não souberam esclarecer o motivo do tal odor. No sábado de manhã, aparentemente quase dois milhões de pessoas, já se encontravam no local, reclamando de sentirem o mesmo fedor, mas manifestando cada um da sua forma. Enquanto os estudantes queimavam carteiras, ali perto presidiários queimavam colchões e um grande grupo de homossexuais queimava a rosca.

Hoje domingo, o odor é tanto que máscaras de oxigênios estão sendo distribuídas em postos de saúde. O atual presidente do país, diz que a culpa do mau cheiro vem de águas passadas e que se partido lutou contra ele por muito tempo.

Líderes da oposição bateram o pé na merda e não aceitaram as acusações. “Quando colocar a Dilma no governo, saberemos qual passado iram culpar pelo problema da privada do país”.

Na parte da tarde, crianças no sul do Amapá se divertiam em meio a toneladas de merda, enquanto as do Sul do País pulavam em merda congelada.

Radicais espirituais se debruçavam em merda pelas ruas com placas alegando ser a “Nova era dos Ruminantes”, aparentemente, as vacas foram deixadas em casa sobrando apenas o excremento brasileiro.

A conclusão que a população chegou foi que apareceu enfim a grande cagada nacional.

4 de mar de 2009

Coisa de gente Chico

Vamos fazer um adeus à carne mais bonito. Com pouca roupa e muito álcool.

Vamos tentar lembrar de cantos e marchinhas interessantes. Talvez sem o clichê da colombina. Ou talvez a colombina sem roupas. Mais sutil mais interessante.

Vamos esquecer da tristeza, deixar os alucinógenos nos guiarem. Pode ser complicado, às vezes dá até medo.

Vamos temperar tudo, com suor e saliva. Trocar os copos e esperar a herpes ou o cancro.

Vamos esquecer do preconceito. Forçar uma tranqüilidade. Já estaremos sem roupa e um pouco loucos.

Vamos fazer do comercial um texto, cheio de idéias. Vendemos e fazemos mais felicidade com o dinheiro.

Vamos mendigar amor. Gritar na rua o desespero de ficar quente pelo problema com os curtos cobertores.

Vamos exigir nossa comida, cuspir e comer. Encher a barriga com flores de um cabaré sujo.

Vamos nos exibir e fingir prazer. Se alguém perguntar, bate na cara, diga que ninguém ousou saber como fazíamos amor.

Vamos esperar a sessão encerrar e sorrir mais do que os frouxos que saíram lá de dentro.

Vamos encher as malas de roupa e nos enchermos de motivos para não usar roupas.

Vamos aprender a dar nome de coisas belas às mulheres ou dar nome de comida a algumas delas. E no fim esperar que possamos comer belas mulheres, com belas comidas.

Vamos socializar com grosserias e machismos. Faremos clientes insatisfeitos e seremos as únicas putas que vão saber amar.

Vamos criar um discurso bairrista familiar. Seremos os amantes da orgia romântica.

Vamos brincar de polícia e ladrão. Eu faço canções sobre um cálice e você me prende no seu mundo sujo.

Vamos colorir tudo, esperar o sol aparecer para derreter nossa música. Depois que criarmos o amor à gente deita no chão e se embrulha com as manchetes nuas da noite seguinte.

28 de fev de 2009

Proporções diferenciadas de felicidade.

É engraçado como tudo na vida é feito sobre proporções exatas, e dentro dessa organização social, existem tantas falhas que todos passam a criticar a falta de ordem como um absurdo.

Veja bem, partindo da idéia de felicidade, algumas pessoas consideram o dinheiro como a essência total da vida. Outros procuram ter mulheres e outras em ter homens. Alguns só querem ter saúde, um outro tanto quer ter Deus, um bocado quer virar branco assim como outra parte quer virar negro. E os poucos e mais inteligentes, simplesmente são felizes.

O que na verdade é o grande problema do ser humano: passar a vida inteira querendo ser feliz, enquanto todos os outros animais simplesmente são. Mas isso é outro problema, e alguém já tinha escrito algo assim antes.

O que é colocado aqui são os valores da organização e do tempo. A questão é saber, se até onde formos organizados e responsáveis seremos realmente felizes, desde que essa felicidade seja vista como viver.

Você entra no supermercado e o saquinho do suco de laranja não fica perto das bebidas, afinal não é uma bebida. Assim é a vida. Entendeu?

Ai você nasce e aprende a ser feliz, responsável, correto, respeitar, pedir benção, ter fé e afins. Daí tu vê que o mundo te ensina a bater primeiro se não você apanha, a não confiar em ninguém, que andar com gente rica te faz parecer uma “gente” rica, que bom mesmo é beber e se divertir, que nem um homem e nem uma mulher vai amar só você, entre outras verdades dolorosas.

Você tem que comprar o pacote, colocar água, misturar, se o suco vier com açúcar está pronto, se não vier você adoça do seu jeito. A vida. Não entendeu? Nem eu sei te explicar, só mais uma coisa, com o que você ocupa seu tempo? Por que você é feliz? Você é feliz? Por que você não é feliz? Sabe o que é felicidade?

31 de dez de 2008

63kg de músculo e fúria.

Eu sou o sorridente, o cara que tem primos como irmãos, família como clã, timidez esgotada no álcool. Sou a raça negra de uma família careca, sou a união de uma guerra Magalhães, sou o futuro de uma ignorância difundida.

Tento ser o tesouro, um esporro negro, um alvo, uma cria para deboches, tento ser o que leva isso com humor, ignorando o motivo de fazer humor dos ignorantes. Sou um Magalhães corrompido por felicidade, me fazendo vítima de uma família cheia de buracos que procuram no sorriso e felicidade motivos para o despache de uma loucura que não existe, de uma felicidade feita novamente no álcool. Porem felizes.

Sou o Tarso do pasquim, o Lula sem dedo, o amigo moça, das graças feitas contra o paradigma de ser macho. Sou o que tem o menor pau, que se gaba do maior, que sorri dos grandes, que acredita nos pequenos e no fim todos temos o mesmo tamanho.

Sou a parte podre de uma sociedade bem maquiada, de uma vontade de ser jornalista, que se depara com celebridades que tem vontade de ser gente.

Sou o ego de ter um diário, que deixou de ser íntimo para esporrar um monte de merda pessoal na cara de um bando de pessoal de merda.

Sou a vontade de gritar o rock, dançar o samba, criar um recife do pequi no meio do cerrado, sem nem ao menos saber fazer música, e morrer enganando aqueles que me escutam cantar um manguebit sem refrões.

Sou o despejo de vontade de uma criança com medo da verdade, desempregada, por preguiça e cobiçada por estrada, que faz rimas com a vida e o simples motivo de viver sem ao menos conhecer um terço da vida.

Sou Breno Magalhães um falso egocêntrico de 2008.

30 de dez de 2008

Professores da vida.

Quantas vezes temos que apanhar da vida? E quantas vezes temos que sofrer? E quando é à hora de fazer tudo parar?

Quando mais novo, aprendi a sorrir, palavrinhas mágicas, soletrar e conjugar. Mais tarde aprendi algo que não se aprende na escola. O tal do amor.

O amor é uma graça né? Um dia a gente conhece alguém que nunca vimos na vida, essa pessoa te fala uma ou duas coisas legais sobre você, aproveitamos a oportunidade, discutimos gostos pessoais, um beijo, um carinho e pronto. Ai um dia você liga e escuta um “acho que devemos ser apenas amigos”. Alguém enfia uma colher em você e fica misturando o que você tem dentro, uma semana, um mês, um ano, de repente, acontece tudo de novo.

Ta ai, definição de amor em 6 linhas.

O pior é quando a gente brinca de pierrot e colombina, que fica naquele amor sem amor, onde o amor só se vê em lagrimas, e por parte de um, apenas.

Ai o amor vira samba e a rima com o malandro transforma o amor em cavaco e cerveja, amor bonito, esse que faz daquele que trai o tal do malandro.

Em fim, amor rimado com música e verdade fica nisso, cheio de coisa certa e no certo/real, fica ó incerteza. Triste para quem ama, mesmo que o tal do amor seja a coisa mais linda.

Gay? Nada, coisa de 2009. Motivo para seguir a vida só com o amor mesmo.

25 de nov de 2008

Deixa eu pintar o meu nariz.

Não serei direto, a idéia é degustar o tema: atuar. Bacana. Bacana está retro. É bom. Muito mesmo.

Sabe, passei por uma experiência, mais uma. Não foi nada Nelsoniano, nem perto na verdade, foi coisa amadora, de pegar um papel bobo e participar de algo bem feito. Não que eu vá cair de cara nisso, mas me deu prazer.

Queria ocupar umas horas do meu dia brincando de ser outra gente. Assim como queria ocupar alguns dias das minhas horas na beira de uma estrada pedindo carona daqui ao México.

É um filme, não um terror, nem trash, é um suspense. Um elenco muito bom, tirando o mamão amador aqui. Ta que fui convidado, mesmo com muita pressão, minha, mas é isso, tentar, aproveitar a oportunidade.

Esse reboliço todo para dizer que fiquei apaixonado com essa brincadeira. E quantas vezes pensei em pegar esse tempo de escrever isso aqui e aprender alguma coisa sobre expressão.

Meio egoísta esse post, pelo menos desengasgou. Apaixonei-me pelo teatro, mesmo forçando um filme, na verdade me apaixonei mesmo pela brincadeira e não quero opiniões, quero só deixar arquivado esse vômito para eu ter que ler essa besteira e criar coragem de fazer algo que eu quero de verdade.

Acreditem, é bem BACANA fazer uma expressão virar arte. Ou pelo menos chamar de arte. Melhor, achar que é arte é ponto.

4 de nov de 2008

Na Natureza Selvagem.

Tinha medo de falar desse filme. Mas passou. O que acontece foi o choque que eu levei. Christopher McCandless (Emile Hirsch) deixou a família para viver como andarilho, traçando um percurso sem roteiro.

Ele toma seu rumo, indo contra o sistema moral americano. O que o jovem procura não é o “Sonho Americano” convencional, seria mais uma liberdade pessoal, tão radical que intriga e dá socos no estômago.

Grande parte do filme me pergunto se teria coragem de fazer o mesmo, queimar dinheiro, negar um carro novo, desprender de um relacionamento, andar com uma mochila e com a vontade de alguém que não tem nada o que perder.

Muitas vezes ele parece imaturo demais, inconseqüente demais, mas é exatamente esse paradigma que ele quebra de que até para se desligar da sociedade você tem que ter um roteiro.

O filme baseado no livro Into the Wild, de Jon Krekauer, mostra a desestrutura de uma família americana bem sucedida, com filhos infelizes e ocupados demais em seguir as condutas éticas e morais de um bom filho.

Sean Pean levou algum tempo para que a família de Christopher McCandless aceitassem a idéia de filmar a aventura dele. O Filme que é baseado nessa história verdadeira do jovem McCandless, mostra por fim que ele encontrou exatamente o que procurava, mesmo que isso tenha sido doloroso demais.

Ótimo filme.

29 de out de 2008

Hermano experimental

Marcelo Camelo - Sou.

Sou extremamente suspeito em falar de Los Hermanos.

No meu 2ºano, eu fazia digestão ouvindo os barbudos. Aprendi a ouvir, gostei depois virei tiete.

Ai acabou, bateu desespero, mas achei bom. Foda é o Fabio Jr. que tem 6 CDS, 5 coletâneas.

Então escuto, "Camelo ta fazendo um CD". Bacana, mas deu medo. Acho que o interessante da banda foi o que eles criaram com todo o conhecimento musical deles reunidos, porque dá para escutar, "Samba a dois" e depois "Pierrot" e saber que aquilo é Los Hermanos. Exatamente essa coisa de samba-rock, exerimental, psicodélico, Hardcore.

Escutei o "Sou" ou "nós", no início achei bom, muito mesmo, tava gostoso de ouvir. Mas acho que o Camelo se perdeu ou perdeu-se.

Na verdade ainda não sei bem certo, se ouvi o CD vezes suficiente para estar falando. Achei extremamente experimental, complexo. Camelo soltou das rédeas, inovou. E isso é bacana.

Não sou músico, mal toco minha gaita, mas sei o que escuto e achei desconfortável, de 2 a 3 músicas. "Doce Solidão" e "Mais Tarde" são músicas gostosas de se ouvir, ele faz ótimos riff's de guitarra e mostra porque o Los Hermanos tinha uma ramificação melancólica e de onde ela saia.

Marcelo Camelo para mim sempre foi bom demais, desde a primeira vez que o escutei cantando "Liberdade" no canal fechado, eu tentava acompanhar e não sabia como alguém cantava tão deprimido e de forma tão afinada.

Não dou 10 para o CD porque não sei se ele merece, mas aconselho que escutem.

Ensaio Sobre a Cegueira.

Ensaio Sobre a Cegueira: Filme

"Fernando Meirelles com José Saramago, não vai dar certo", para mim deu meu querido João Pedro.

Meirelles: "uma parábola sobre a fragilidade da civilização e a facilidade com que se derrubam valores aceitos pelas sociedades avançadas". E foi.

Assisti ao filme no cinema, não me chocou tanto, mas foi um tapa leve, não na cara, nas costas. Sempre vi a sociedade daquela forma, meio porca e necessitada. É aprofundo em um ponto, a cegueira é sexual.

Essa coisa do toque, sentir, cheirar isso é sensual e isso é meio cego. Meirelles mostrou legal e Saramago desenvolveu melhor ainda.

Ouvi críticas sobre a "incapacidade do cego". Realmente, o filme mostra um desespero, um caos, por falta da visão, mas é inadaptável, rápido demais. Não sei como ficaria se fosse comigo, mas acredito que esses paradigmas e conceitos éticos, não só meus, mas tenho certeza que de muita gente, mudaria.

Fome, preconceito, sexualidade, desespero, fácil demais falar disso tudo, mostrar isso tudo, porque está presente, mas as mãos ficam na frente dos olhos e isso não é cegueira. Criar um ensaio, que te surpreende é bem feito, para mim Meirelles mostrou legal, não colocou mais porque faltaram umas 70 páginas. Ai não seria Meirelles, seria Saramago.

O filme não merece Nobel, mas mostra que somos feitos de barro e isso de população sólida não existe. A posse acaba e a sobrevivência é a única. Talvez eu esteja sendo calculista, mas ta tudo muito sujo, para a sociedade fazer um “ohhh”, quando se troca sexo por comida. Talvez a hipocrisia seja o único motivo de achar o filme nojento e pornográfico. Acredito que sombrio e belo se encaixe melhor.

Cara nova.

Não, não abandonei meu querido açoite. Falta de tempo é desculpa esfarrapada, mas é à única. Vou tentar seguir a titulação do blog e dar leves chibatadas nas ferramentas culturais, tipo filmes, livros e afins. Pretendo receber um retorno com isso, então se alguém quiser me indicar algo, ou criar uma pracinha de Sócrates, para debater, vai ser bacana. Abraços.

19 de jun de 2008

Filhos de Maria e Madalena no 'Segunda Aberta'

Evento: Projeto Segunda Aberta – Show com Filhos de Maria e Madalena

- Data: 23 de Junho de 2008

- Local: Teatro do Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro (Rua 3, esq. c/ Rua 9, Setor Central)

- Horário: 21h

- Entrada: R$ 5,00 preço único

- Telefone para informações: 3524-2540/2542 (Carlos Brandão, Marci ou Carol)

- Telefone do artista da semana: 9615-6508 (Diego de Moraes)

Projeto Segunda Aberta

O projeto Segunda Aberta foi criado no início dos anos 80 e aconteceu em bares da cidade como Cavalhadas (do cartunista Jorge Braga) e Flor da Pele (do músico Gilberto Correia). Vários artistas começaram suas carreiras ou se revelaram no projeto. Depois, em 1989, o Segunda Aberta foi encampado pela Secretaria de Cultura de Goiás, dirigida por Kleber Adorno, e passou a acontecer no restaurante Centro de Tradições Goianas.
- Em 2007, o projeto voltou a acontecer no Teatro do Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro. Foram, somente em 2007, 52 apresentações que trouxeram para o palco do Ouro artistas como Gustavo Veiga, Mestre Arnaldo e Grupo Batixó, Juraíldes da Cruz, Marcelo Maia, Francisco Aafa e Felipe Valoz, Blues e Derivados, banda Technicolor, De volta ao samba, Dênio de Paula, grupo Vida Seca, Kucas Faria, grupo Panela de Pressão, Laércio Correntina e TomChris, entre outros. -
O projeto Segunda Aberta volta em 2008, a partir do dia 7 de abril e se repetindo à cada segunda-feira. A proposta é a mesma do ano passado: um músico ou grupo local se apresenta num show que dura entre 60 a 90 minutos. Diferente de 2007, neste ano não haverá um músico iniciante abrindo a noite. Todos serão tratados por igual e terão suas noites, independentes de serem iniciantes ou não. O gênero musical também não interessa à produção do projeto. Todos terão tratamento idêntico. A única diferença é o horário: em 2007, os shows começavam às 19h30. Em 2008, as apresentações têm início sempre às 21h.

Prom Night

Mais um evento da Fósforo: nesse sábado, dia 21, às 21h, no Centro de Tecnologia do Espetáculo (Cete), acontece a segunda edição da festa de maior sucesso do ano passado. Um baile de formatura no estilo norte-americano anos 80 feito para o público goianiense, com direito a ponche, filmes da sessão da tarde, decoração caprichada e muita música no estilo Footloose e cia. Para saber mais sobre a festa acesse o www.prom.blogger.com.br e não deixe de enviar seu nome completo para o e-mail promnight@gmail.com para receber desconto na compra do ingresso. Segundo as promoters da festa, Lívia Ramirez e Nathalie Iovino, até ontem, dia 18 de junho, a lista já ultrapassava os 330 nomes.

Monstock

Clica na foto que amplia.

18 de mai de 2008

Metal no Bananada

Este ano tem Metal no Bananada com alguns ícones do gênero. Começando pela volta do Mandatory Suicide, que após 10 anos retorna aos palcos para um show comemorativo e histórico logo na primeira noite do festival. Na sexta-feira tem o Inbleeding, outra banda clássica do estilo em Goiás, Are You God? e Mugo também estarão presentes. Já no domingo será a vez do Necropsy Room com seu death-trash metal! Para aqueles que sabem apreciar um bom metal, o Bananada 2008 será uma opção. BANANADA 2008!!! De 23 a 25 de maio Martim Cererê Ingressos à venda na Ambiente Skate Shop, Tribo, Hocus Pocus e Monstro Discos duvidas: www.mysapce.com/bananada

12 de mai de 2008

Nelson por ele mesmo.

Nelson Rodrigues se fosse vivo, adoraria a Internet, o contato instantâneo e direto com o público, a ausência de censura, a possibilidade de tratar livremente de temas como paixões efervescentes, dramas em família e futebol. E como o jornalista, dramaturgo, repórter e roteirista sempre disse "Eu sou anticomunista desde os onze anos. E assumo minhas posições, mesmo quando, hoje, o intelectual virou esquerda porque essa é uma maneira do sujeito ser inteligente, de ser atual, de ser moderno e, principalmente, de se banhar na própria vaidade".

Mas que intelectual é esse que passa por Mensalões, Navalhas, Apagões, Ambulâncias e todas essas Comissões Parlamentares de investigação? Isso é o Brasil por isso é normal? O ser humano perdeu sua vontade de protesto, sua revolta, agora a indignação fica em casa e assistindo novela, enquanto isso a esquerda faz showzinho e acha que cumpre sua missão revolucionária. Showzinho que só a burguesia assiste, gosta pra burro, aplaude pra burro. Paga, porque o pessoal ganha dinheiro para burro, vai para o restaurante jantar e acha que cumpriu sua missão política.

E para aqueles que dizem que a "paixão política" vai mudar tudo isso, o artista maldito e pornográfico, Nelson Rodrigues lhe diz: "Nada mais cretino e mais cretinizante do que a paixão política. É a única paixão sem grandeza, a única que é capaz de imbecilizar o homem".

Nelson Rodrigues faz falta.

4 de mai de 2008

Programação Goiânia Ouro - Maio

Como prometido:

TEATRO

Dia 02/05 às 20h - Belly Divas Internacional – Dancing with the Stars - Dança do VentreShow de Gala Ingresso: R$ 25,00 inteira

Dia 03/05 às 21h - Belly Divas Internacional – Dancing with the Stars - Dança do VentreMostra Stars Ingresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia

Dia 04/05 às 11h - Concertos Goiânia Ouro - Música, com Malu Mestrinho (canto) e Rodrigo Carvalho (violão)Ingresso: R$ 8,00 inteira e R$ 4,00 meia

Dia 04/05 às 17h - Espetáculo: Contador de historias do Cerrado - Teatro InfantilGrupo de teatro Arte e FogoIngresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia

Dia 05/05 às 21h - Projeto Segunda Aberta - MúsicaShow: Fernanda Guedes Ingresso: R$ 5,00 preço único

Dia 06/05 às 20h - Espetáculo: Amor-Te – O Amor Segundo a Morte - Teatro AdultoIngresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia

Dia 07/05 às 20h - Show: Octávio Scapin - MúsicaIngresso: 7,00 preço único

Dia 08/05 às 20h30 - Projeto Temporada de Teatro - Dança/TeatroEspetáculo: Hoje é Domingo Grupo Solo de DançaIngresso: R$ 12,00 inteira e R$ 6,00meia

Dias 09 e 10/05 às 21h Dia 11/05 às 20hEspetáculo: o Alienista – Teatro AdultoGrupo: Cia de Teatro Nu EscuroIngresso: R$ 12,00 inteira e R$ 6,00 meia

Dia 12/05 às 21h - Projeto Segunda Aberta - MúsicaShow: MPB e PoesiaLeandro Bessa e Sanoeth SchulgeIngresso: R$ 5,00 preço único

Dia 13/05 às 20h - Espetáculo: O Corpo – Teatro AdultoGrupo: Teatro Ritual – Núcleo Ciranda da ArteEntrada Franca

Dia 14/05 às 20h - Coral Infantil da Escola de Músicos - MúsicaEntrada Franca

Dia 15/05 às 20h30 - Projeto Temporada de Teatro – Dança/TeatroEspetáculo: Hoje é Domingo Grupo Solo de DançaIngresso: R$ 12,00 inteira e R$ 6,00 meia

Dias 16 e 17/05 às 21h - Espetáculo: Por Prazer - Teatro AdultoGrupo: Cia Teatral Martim CererêIngresso: R$ 30,00 inteira e R$ 15,00

Dia 18/05 às 11h - Concertos Goiânia Ouro - MúsicaConjunto de Metais e Percussão da Orquestra Sinfônica de GoiâniaIngresso: R$ 8,00 inteira e R$ 4,00

Dia 18/05 às 16h - Espetáculo: Maria Minhoca - Teatro InfantilCia de Teatro Carlos MoreiraIngresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia

Dia 19/05 às 21h - Projeto Segunda Aberta - MúsicaShow: Johnny Suxxx (Acústico)Ingresso: R$ 5,00 preço único

Dia 20/05 às 20h - Espetáculo: Amor-Te – O Amor Segundo a Morte – Teatro AdultoIngresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia

Dia 21/05 às 20h - Show: Arnaldo Freire - MúsicaIngresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia

Dia 22/05 às 20h30 - Projeto Temporada de Teatro - Dança/TeatroEspetáculo: Hoje é Domingo Grupo Solo de DançaIngresso: R$ 12,00 inteira e R$ 6,00 meia

Dia 26/05 às 20h30 - Projeto Segunda Aberta - MúsicaShow: Fogaréu com BororoIngresso: R$ 5,00 preço único

Dia 27/05 às 20h30 - Terça Perfomática - DançaIngresso: R$ 5,00 preço único Dia 28/05 às 20h - Espetáculo: O Santo e a Porca - Teatro AdultoGrupo: SoemCenaIngresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia

Dia 29/05 às 20h30 - Projeto Temporada de Teatro - Dança/TeatroEspetáculo: Hoje é DomingoGrupo Solo de DançaIngresso: R$ 12,00 inteira e R$ 6,00 meia

Dia 30/05 às 21h - Show: Lili Franco e Taís Falcão - MPBIngresso: R$ 5,00 preço único

Dia 31/05 às 20h - Espetáculo: Uma histérica história - Comédia Adulto CAFÉ CULTURA

Dia 03 - FESTA ELECTROFUNKBREGANIGTHXI, às 23h

Dias 06, 13, 20 e 27 às 21h - BLUES, com Paulo Moraes e convidados

Dias 02, 09, 16, 23 e 30 às 23h - JAZZ, com Marcelo Maia, Dejan Cosic e Fred Valle

Dias 04, 11, 18, 25 - LOW AMP (Rock Acústico), às 22h

CINEMA

De 01 a 04 - I MIAU - Mostra Independente de Audiovisual Universitário

De 07 a 10 - Mostra Itinerante Vídeo Brasil Dia 15 às 20h - Lançamento do filme Os Que Passam Correndo - Dir. Rochane Torres

De 16 a 18 - Mostra Loucura, Cultura e Diversidade

Dia 21, às 19h30 - Lançamento do Festival Perro Loco

Dia 28, às 19h30 - Lançamento do filme Lixo Ritmado Batuque Reciclado Dia 31, às 17h - Cine Filosofia, com debate

Temporada Casa das Artes - Programação de maio‏

A Secretaria Municipal de Cultura, através do CETE, volta neste mês de maio com a Temporada casa das Artes, que nesta edição inclui um festival de Rock, apresentação de três espetáculos Teatrais, um encotro nacional de RPG e dois cursos.
-> O CETE fica na Rua R1, esquina com Av. Anhanguera, no setor Oeste. Em frente ao viola de prata.
---
Programação:
Dias 09 e 16 (sextas) - 21h(In)Pessoa(L) - Cia Teatral Oops!..Valor: R$10 e R$5
---
Dias 17 e 18 (sábado e domingo) - 10hDia D de RPGEntrada franca
---
Dias 23 e 24 (sexta e sábado) - 21hDrummond 4 Tempos - Cia. Novo AtoValor: R$10 e R$5
---
Dia 25 (domingo) - 15hRock City Sessions - 4 bandas + discotecagemValor R$5
---
Dias 31 e 1 (sábado e domingo)Diário de Nabucodonossor - Cia. Stars de TeatroValor: R$10 e R$5
---
De10/05 à 28/06Curso de cenografia - com Wagner GonçalvesValor: R$15 (taxa única)
---
De 10/05 à 15/11Curso de montagem de espetáculo - João Bosco AmaralValor: R$20 (mensal)

Festival Matéria-Prima

O Webjornal Outr'Análise, espaço virtual que recebe artigos, reportagens e entrevistas feitos por estudantes universitários da área de humanas da UFG, UnB e Unesp, chega a sua 18ª edição com uma entrevista exclusiva feita por Túlio Moreira (do curso de Jornalismo da UFG) com o guitarrista Sérgio Dias, um dos fundadores dos Mutantes. Para julho desse ano, a banda prepara o primeiro disco de inéditas em mais três de décadas. No programa Panorama, da Rádio Universitária 870 AM (http://www.radio.ufg.br/), você também confere uma reportagem sobre o retorno dos Mutantes, na quinta-feira (08/05), a partir das 17h.Confira outros destaques dessa edição do Outr'Análise:
---
- Francis Neves, estudante de Jornalismo da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), fala sobre o conflito político no Tibet.
---
- Lorena Gonçalves, que cursa Jornalismo na Universidade Federal de Goiás (UFG), explica como surgiu o inusitado encontro Free Hugs.
---
- Douglas Branquinho, do curso de Jornalismo da UFG, faz uma análise das alianças políticas para as eleições desse ano.
---
- O estudante de Jornalismo da UFG e editor do Outr'Análise, Alexandre Cavarzan, escreve sobre a efervescência cultural que toma conta do centro de Goiânia.
---
- Fred Gondim, da Faculdade de Letras da UFG, traz o conto "Ivy", sobre uma jovem de aura de arco-íris.
*
N: Matéria- Prima é um trabalho que o pessoal de Jornalismo da UFG faz (muito bem feito), e para relembrar um pouco dos Mutantes (Banda), eles fecharam algo bem interessante com o Sérgio Dias (ex-Guitarrista).

1 de mai de 2008

Curso no Goiânia Ouro

O Centro Cultural Goiânia Ouro, com a administração de, Carlos Brandão, mais uma vez vem dando uma aula de progresso cultural em Goiânia, apresentando uma programação para o mês de Maio extremamente diversificada (que na verdade será apresentada na próxima postagem, pois ainda não foi concluída), Carlos Brandão mostra que é bom no que faz desde seu trabalho com o Martim Cererê.
---
Dessa vez o Goiânia Ouro oferece o: "Curso de Internet Básica para pessoas acima de 40 anos" Local: Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro (Rua 3, esquina da Rua 9, Centro) Horários: 09 às 10h, 14h30 às 15h30, 16 às 17h e 18h30 às 19h30 Preço do curso: R$ 20,00 Informações e inscrições: 3524-2542
*Os dias serão definidos somente quando forem feitas as inscrições.

Início.

Meu povo, nunca na história desse país um blog... Brincadeira. Então, fiz esse blog com o propósito de divulgar alguns eventos, postar idéias, tentar contribuir um pouco com informações em geral, sei lá, coisa de blog. A idéia do “Açoite cultural” veio através do Jornal O Cidadão, estou apenas conservando o nome. Quem quiser aprofundar mais na parte de informações sobre política tem o link ali embaixo do Blog do Alexandre Braga.
Enfim, espero criar um conteúdo interessante por aqui.
Forte abraço